#181: Refúgio - Mickey Bolitar #1 - Harlan Coben

, em quarta-feira, 4 de setembro de 2013 ,
Bookmark and Share

Editora: Arqueiro
Páginas: 224
Ano: 2012

Sinopse (Skoob):
Apresentado ao público pela primeira vez no suspense Alta tensão, Mickey Bolitar se vê obrigado a ir morar com seu tio Myron, um ex-agente do FBI, após testemunhar a morte do pai e internar a própria mãe numa clínica de reabilitação. Agora o rapaz precisa se esforçar para conviver com o tio, de quem nunca gostou muito, e ainda se adaptar ao novo colégio.
Para sua sorte, ele logo arruma uma namorada, a doce Ashley, que também é nova na escola. Quando sua vida parece estar entrando nos eixos, o destino lhe reserva uma surpresa: Ashley desaparece misteriosamente.
Determinado a não perder mais uma pessoa importante em sua vida, Mickey contará com a ajuda de seus novos amigos, os excêntricos Ema e Colherada, para seguir o rastro da namorada.
Para piorar, uma idosa reclusa da vizinhança lhe conta que seu pai ainda está vivo, sem dar maiores explicações. Quando esses dois mistérios se cruzam, Mickey descobre que está envolvido numa rede de intrigas que o levará a questionar a vida que acreditava ter.
Perspicaz e esperto como o tio Myron, Mickey está disposto a fazer tudo o que for preciso para salvar as pessoas que ama.


Depois de obter a garantia de que esse livro não me daria spoilers da série sobre Myron Bolitar, me joguei em mais um livro do meu queridão Harlan Coben e da San também.

Mickey Bolitar tem 15 anos, perdeu o pai a menos de um, a mãe foi parar numa clínica de reabilitação, e está morando com o tio – Myron – de quem não gosta nada. Na verdade, o garoto não conhece Myron, só sabe que o tio não apoiou o casamento de seus pais e desde então não falava com o irmão.
Mickey passou a vida mudando de um país para outro junto com os pais que trabalhavam para o Abrigo Abeona, que ajuda crianças e adolescentes em dificuldade, até que seu pai decidiu que ele merecia um pouco mais de estabilidade, a chance de fazer amizades duradouras e de estudar e entrar para uma faculdade.
A família estava em Los Angeles há algum tempo quando Mickey e o pai sofreram um acidente de carro e o rapaz foi o único a sobreviver. Sua mãe começou a se drogar para aguentar a dor e ele não tinha mais como contar com ela. Foi aí que Myron entrou na equação e ameaçou tirar a guarda de Mickey de Kitty, assim eles fizeram um acordo: Kitty ia para uma clínica e Mickey moraria com Myron.
A vida do jovem Bolitar não estava fácil, então ele conheceu uma novata na escola onde também era novato, Ashley. Eles começaram a sair e andavam sempre juntos, até que de repente e sem explicação ela parou de ir às aulas. Mickey resolve descobrir onde Ashley está e porque ela sumiu assim. É aí que sua vida consegue ficar ainda mais cheia de confusão.
Apesar disso, é nesse momento também que ele conhece dois alunos que serão seus grandes amigos: Ema – excluída pelos demais por ser gorda e gótica, e Colherada – o filho de zelador e um garoto que adora soltar fatos aleatórios no meio das conversas.
Ah! Esqueci de dizer que uma velinha vizinha de Myron, conhecida no bairro como Dona Morcega, que Mickey não conhecia, o chama pelo nome em uma manhã e diz que seu pai não morreu. Mas ele viu o pai morrer. E agora? Como resolver todos esses mistérios? Descubram lendo Refúgio.

Quem não conhece a série do Myron pode ler a do Mickey sem problemas. Há referências a algumas coisas que acontecem no livro Alta Tensão (Live wire) – o décimo e último da série – e nomes que aparecem durante as histórias de Myron, mas nada que vá deixar você confuso e tal. Eu mesma não li Alta Tensão ainda, só li os quatro primeiros livros da série. E realmente não há spoilers da vida do Myron.
Agora deixem-me falar de Mickey: ele detesta o tio por motivos que a mãe lhe deu e não quer nem papo com ele, mas herdou de Myron a veia cômica para tiradas sarcásticas e piadas sem graça que me fazem rir pelo absurdo das mesmas. rsrs
Por ter crescido em vários lugares, com uma educação, no mínimo, diferente do normal, não estranhei várias atitudes bastante adultas que ele toma durante a narrativa para descobrir onde está Ashley.
Ema e Colherada também são personagens carismáticos e aos quais já me apeguei. A garota guarda as informações sobre sua família e onde mora a sete chaves, então fica aquela aura de mistério a rodeando; apesar disso, dá para notar que ela é uma garota de verdade por trás de toda a atitude ríspida e independente. Colherada é... Bem, a melhor palavra para descrevê-lo é: peculiar; um doce de garoto.
Todos os personagens são muito bem construídos e vamos conhecendo suas facetas a medida que lemos.
Harlan mais uma vez escreve uma obra de mistério e investigação sem ser exatamente um drama policial. Há situações engraçadas, esdrúxulas e as investigações em si estão longe de serem feitas por profissionais, mas o livro é envolvente e prende o leitor.
Acho que depois de falar tanto, não preciso dizer mais nada além de: indico demais! Quem não conhece Harlan Coben precisa consertar isso logo! =)

Nota: 4,8/5.


*Ter vislumbres do Myron durante a leitura só me deixou com mais saudades dele e do Win. Espero que a Arqueiro não demore a lançar One false move.

Nenhum comentário :

Postar um comentário