#430: A Soma de Todos os Beijos – Quarteto Smythe-Smith III – Julia Quinn

, em terça-feira, 9 de maio de 2017 ,
Bookmark and Share

Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Ano: 2017

Sinopse (Skoob):
Um brilhante matemático pode controlar tudo…
A não ser que um dia exagere na bebida a ponto de desafiar o amigo para um duelo. Desde que quebrou essa regra de ouro, Hugh Prentice vive com as consequências daquela noite: uma perna aleijada e os olhares de reprovação de toda a sociedade. Não que ele se importe com o que pensam dele. Ou pelo menos com o que a maioria pensa, porque a bela Sarah Pleinsworth está começando a incomodá-lo.
Lady Sarah nunca foi descrita como uma pessoa contida…
Na verdade, a palavra que mais usam em relação a ela é “dramática” – seguida de perto por “teimosa”. Mas Sarah faz tudo guiada pelo bom coração. Até mesmo deixar bem claro para Hugh Prentice que ele quase destruiu sua família naquele bendito duelo e que ela jamais poderá perdoá-lo.
Mas, ao serem forçados a passar uma semana na companhia um do outro, eles percebem que nem sempre convém confiar em primeiras impressões. E, quando um beijo leva a outro, e mais outro, e ainda outro, o matemático pode perder a conta e a donzela pode, pela primeira vez, ficar sem palavras.


É a semana de casamento de Marcus e Honória e toda a família da moça foi para Fensmore, a propriedade do Conde de Chatteris. Lady Sarah Pleinsworth está dramaticamente revoltada com tantos casamentos a sua volta – dois – e em sequência. Tudo porque ela ainda não tem um pretendente, tenham certeza leitores.
Depois de três temporada infrutíferas, Sarah está um pouquinho desesperada. E estar cercada por suas três irmãs mais novas não ajuda muito. Porém, o pior é pensar que se ela não casar logo, terá que participar do famigerado concerto do Quarteto Smythe-Smith, já que só tinha uma oportunidade de escapar, fora se casando, e já a usara.
E pensar que tudo foi culpa de Hugh Prentice. Na primeira temporada que Sarah deveria participar nada menos que 14 cavalheiros se casaram, porém foi na mesma época em que Daniel Smythe-Smith e Hugh se enfrentaram em um duelo idiota e o primo de Sarah acabou exilado da Inglaterra por machucar o outro lorde. Com o escândalo, toda a família Smythe-Smith e Pleinsworth se recolheu para o campo e Sarah perdeu uma oportunidade de casar antes de integrar o Quarteto.
O alvo da raiva de Sarah também não está exatamente feliz com os casamentos. Bem, Hugh está feliz pelos amigos, pois ele nunca quis ferir Daniel, mas ele dispensaria os convites para os casamentos dele e de Marcus. Porém, depois de ser resgatado de seu exílio, Daniel quer retribuir o favor fazendo com que a sociedade pare de enxergar Hugh como um vilão e não há melhor forma de fazer isso do que recebendo o lorde como seu amigo próximo em ambos os eventos.
O que Prentice não esperava era ser persuadido por Honória a sentar na mesa dos noivos, depois que ela afirma que Hugh seria a salvação de seu casamento, já que um de seus primos adoeceu e não poderá comparecer. Ele só precisa sentar ao lado de Sarah. Que o odeia. E de quem ele não gosta, pois a acha muito dramática. Hugh até gostaria de dizer não, porém não consegue negar o pedido da dama.
Nem Sarah consegue negar à prima que fará companhia a Lorde Hugh de modo que ele não se isole dos demais convidados ou fique muito sozinho.

Por aí vocês já devem imaginar que este volume do Quarteto tem várias discussões, não é? E eu garanto a vocês, elas são muito engraçadas!
Hugh é um cara na dele, que gosta de quietude e não se incomoda nem um pouco em não ser o centro das atenções. Já a Sarah, bom, ela gosta de se expressar sobre tudo, de maneira bastante audível. E ela adora dançar, coisa que Hugh não faz desde que machucou a perna no duelo, pois ela dói demais.
Eles são umas graças juntos, sério! E as irmãs da Sarah, especialmente a Frances (minha unicórnio fofa favorita!), se metem nas conversas em alguns momentos deixando tudo ainda mais divertido.
Além da diversão, tem cenas mais românticas, é claro. Especialmente uma no jardim durante uma das várias festas das duas semanas de comemorações em que eles estão envolvidos, mas não vou falar o que acontece, só que eu me arrepio só de lembrar!
E ainda acontece um problema mais para o fim do livro que é tenso.
Esse é o livro favorito da minha Mami e eu o adorei, mas meu favoritão de todos do Quarteto é o primeiro mesmo.

Nota: 5/5 – favorito.

Quarteto Smythe-Smith:
A Soma de Todos os Beijos
Os Mistérios de Sir Richard

Comentou? Preencha o formulário e participe do Top Comentarista de Maio.

Nenhum comentário :

Postar um comentário